Uma Europa resiliente, social, verde, digital e global. Estes são os cinco grandes objetivos da presidência portuguesa da União Europeia explicados esta manhã pelo Ministro do Ambiente e da Ação Climática.

Durante o webinar sobre as Prioridades Climáticas para a Presidência Portuguesa da UE, João Pedro Matos Fernandes, destacou as prioridades dos 27 para este semestre afirmando que 2021 será um  “ano decisivo para impulsionar a economia europeia para a recuperação e o crescimento, preparando o futuro, nomeadamente através da dupla transição – verde e digital – e reforço da resiliência.”

Garantindo que a União Europeia tem a visão, o programa e os instrumentos financeiros para enfrentar a atual crise, o responsável pela pasta do Ambiente destacou os cinco eixos principais da presidência portuguesa: “ação climática; economia circular; poluição zero (incluindo produtos químicos); biodiversidade; e questões transversais,  e que este é o tempo de agir “por uma recuperação justa, verde e digital’

No webinar, organizado pela Associação Portuguesa de Energia e ADENE, que reuniu os membros do Conselho Mundial de Energia (WEC), foram apresentadas as principais políticas europeias para o ambiente, ação climática e energia.

O Presidente da ADENE, Nelson Lage destacou na política energética a estratégia “Onda de Renovação” (Renovation Wave), que “terá um papel crucial na recuperação da economia, apoiando a reabilitação de edifícios, contribuindo para a melhoria da eficiência energética e hídrica, dinamizando a economia circular, promovendo o bem-estar e a inclusão e combate à pobreza energética.”

Defendendo a ideia de que e economia e sustentabilidade devem caminhar passo a passo, Nelson Lage, disse acreditar que Portugal irá conseguir “atingir o objetivo da neutralidade carbónica em 2050, através da eletrificação da economia, apoiada em fontes renováveis, com forte impacto na transição da combustão interna para o transporte elétrico.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email