Na Economia Circular nada se perde, tudo se transforma

 Conheça algumas das iniciativas já no terreno

A economia circular é um dos caminhos necessários para transformar os sistema de produção e consumo das sociedades. Promovendo o uso sustentável dos recursos e privilegiando a utilização de fontes de energia renováveis, será possível a regeneração dos ecossistemas saturados pela sociedade de consumo, conferindo uma possibilidade de progresso social.

Assentando nos princípios ‘Re’- recusar, repensar, reduzir, reutilizar, reparar, recondicionar, remanufaturar, redirecionar, reciclar e recuperar – a economia circular implica e, surge como uma solução incontornável para ajudar a aliviar o impacto das alterações climáticas, na medida em que abre novas possibilidades a objetos, recursos e bens.

Através da economia circular é possível atingir-se o duplo objetivo de redução das emissões de CO2 e do consumo de recursos, reinventando a economia tendo por base princípios ecológicos.

É com este pressuposto de sustentabilidade, que estão a ser implementadas iniciativas em várias áreas.

No turismo, o Monverde Wine Experience Hotel, está comprometido em agir com total respeito à natureza, de forma  minimizar os impactos ambientais, pretende destacar o rótulo ecológico da UE, refletindo sua preocupação com os questões ambientais e energéticos, representando também a responsabilidade para com as gerações futuras.

Na área da construção, o Repositório de Materiais  é uma iniciativa ímpar que conjuga, ao mesmo tempo uma componente patrimonial, ambiental, cultural e social. Promove boas práticas de reabilitação urbana sustentável, envolvendo técnicos, empresas de construção/demolição, promotores, instituições de gestão local, entidades educativas, a comunidade em geral e outras entidades nos mesmos objetivos. A plataforma salvaguarda e disponibiliza materiais de construção antigos, possibilitando reabilitar edifícios com materiais contemporâneos da construção, alguns com particular valor patrimonial.

Os Repair Café, da Circular Economy Portugal, são eventos públicos e gratuitos nos quais os participantes são incentivados a reparar os seus objetos, roupas ou brinquedos estragados, com a ajuda de voluntários experientes. Ferramentas e materiais são disponibilizados para dar nova vida a uma diversidade de objetos.

Especialmente dirigido a designers, arquitetos, artistas, a Novonovo é uma organização que promove e facilita a reutilização como prática essencial ao desenvolvimento sustentável. Tornam acessíveis todos os materiais que conservem as qualidades necessárias para a sua reutilização a novos contextos, nomeadamente, excedentes de produção, sobras de materiais inutilizados, stock não vendido, etc. Evitando a criação de resíduos, incentivam a criação de novos ciclos regenerativos.

Na área da agricultura, a Nãm foi a primeira quinta urbana de economia circular em Portugal, que de desperdícios do café, produzem cogumelos e fertilizante de qualidade, já que o desperdício da produção de cogumelos resulta num fertilizante orgânico e nutritivo para cultivo de frutas e legumes.

13 municípios portugueses do centro assinaram o Pacto Institucional para a Valorização da Economia Circular na Região Centro – Águeda, Anadia, Arganil, Fornos de Algodres, Fundão, Góis, Leiria, Mealhada, Soure, Tábua, Tomar, Torres Vedras e Vila Nova de Poiares. O compromisso assenta num conjunto de medidas de cariz transformador, cujo objetivo fundamental é a aceleração da região para uma economia de base circular.

Envolvendo os países europeus numa resolução conjunta para a reciclagem dos plásticos, a Comissão Europeia fixou um objetivo no âmbito da Estratégia para os Plásticos de 2018. Mais de 100 parceiros públicos e privados que operam em toda a cadeia de valor dos plásticos assinaram a Declaração da Circular Plastics Alliance (CPA), a aliança para a economia circular do plástico, que promove ações voluntárias para o bom funcionamento do mercado UE dos plásticos reciclados. A declaração explica como a aliança irá atingir, até 2025, o objetivo estabelecido pela CE de 10 milhões de toneladas de plástico reciclado para fabricar anualmente novos produtos na Europa.

Todas estas iniciativas contribuem também de forma relevante para componente de mobilização da sociedade, através da sensibilização para esta economia de recursos e para a proteção ambiental.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email