ADENE

Investor Day em Paris – ADENE apresenta vantagens de investir em energias renováveis em Portugal

“Portugal é um país pioneiro no desenvolvimento de energias renováveis, que nos últimos três anos reforçou a aposta no solar fotovoltaico.” Foi desta forma que o Presidente da ADENE, Nelson Lage, encerrou o Investor Day, um evento promovido pela empresa financeira RGreen Invest, que se realizou esta terça-feira, 14 de maio, em Paris.

O Presidente da Agência para a Energia apresentou, a cerca de meia centena de investidores, as vantagens de investimento nas energias renováveis em Portugal, assinalando que em 2023, o país atingiu um “ano recorde em novas instalações de painéis solares, com a capacidade fotovoltaica do país a subir 46% face a 2022”. Nelson Lage, sublinhou que estes investimentos não foram apenas realizados “em centrais fotovoltaicas de grande dimensão, mas também em unidades de produção para autoconsumo coletivo e em instalações solares próximas de pontos de consumo”, o que mostra a multiplicidade de oportunidades de investimento em Portugal.

O Presidente da ADENE lembrou que, apesar destes bons resultados, a transição energética não pode limitar-se apenas à produção de eletricidade, sendo necessários “investimentos noutras áreas cruciais, como a mobilidade elétrica, a eficiência energética, a produção de biocombustíveis, mas também a formação nos chamados empregos verdes”.

Na abertura deste Investor Day esteve Dominique Ristori, ex-diretor-geral da Direção-Geral de Energia da Comissão Europeia, que falou sobre os desenvolvimentos políticos, económicos e energéticos deste importante setor. Ristori, atual conselheiro estratégico para a área da energia, afirmou que os novos desafios da política energética na Europa são três: “Segurança – Neutralidade carbónica – Competitividade, com prioridade reforçada à inovação e às tecnologias emergentes para o desenvolvimento da soberania europeia”.

Perspetivando as grandes apostas para os próximos anos, Nelson Lage referiu a necessidade de a Europa apostar nas redes inteligentes e num sistema energético mais descentralizado. “A produção descentralizada é crucial para permitir o acesso à energia para todos e para garantir que a transição energética seja justa e não deixe ninguém para trás”, afirmou o Presidente da ADENE.

Portugal é hoje um exemplo na produção de energias renováveis e para continuar na liderança europeia é necessária, segundo Nelson Lage, “uma visão estratégica e ambiciosa, que passe pela expansão da capacidade solar fotovoltaica, através de parques solares de grande escala e projetos de autoconsumo.” 

Para o responsável da Agência para a Energia, é igualmente necessário “reforçar o investimento em energia eólica onshore e offshore, sem esquecer o potencial de outras fontes renováveis, em particular do hidrogénio verde, que se destaca como uma fonte energética promissora, com grande potencial para Portugal atingir os seus objetivos de descarbonização e com capacidade de exportação”.

Nelson Lage encerrou a sua intervenção lembrando que “a transição energética não se faz sem investimentos e Portugal é hoje um polo de excelência nas energias renováveis, aberto a novos investimentos”.

A RGreen Invest é uma sociedade de gestão francesa que apoia os investidores em projetos que visam a transição energética e a mitigação e adaptação às alterações climáticas e que todos os anos realiza um Investor Day.