Climate ChanceRealizou-se no dia 16 de outubro, em Acra, no Gana, a conferência final do projeto Pacto de Autarcas para a África Subsariana (CoM SSA). A conferência integrou a segunda edição do Climate Chance Summit, que teve lugar entre os dias 16 e 18 de outubro, na mesma cidade, com o objetivo de destacar o empenho dos atores subnacionais africanos na luta contra as alterações climáticas.

A conferência do CoM SSA, subordinada ao tema “Towards the institutionalization of local climate action and access to finance”, tinha como objetivo partilhar a experiência das cidades signatárias do Pacto no processo de desenvolvimento dos seus Planos de Ação para o Acesso a Energia Sustentável e o Clima (SEACAP), bem como as lições apreendidas pelos parceiros do projeto. O evento pretendia ainda lançar o debate sobre as estratégias a adotar para disseminar os sucessos alcançados pelas cidades signatárias e garantir o acesso a financiamento para a implementação das medidas previstas nos SEACAP.

A iniciativa CoM SSA, lançada pela União Europeia em 2015, visa apoiar as autoridades locais africanas na luta contra as alterações climáticas, convidando-as a comprometer-se voluntariamente com a implementação de medidas em matéria de energia e clima nas suas comunidades. Ao longo dos seus 4 anos de vigência, o projeto contribuiu para a construção e disseminação em África de uma abordagem bottom-up ao combate às alterações climáticas, contando atualmente com um total de 200 cidades signatárias, de 35 países diferentes.

Enquanto parceiro do projeto, a ADENE tem como responsabilidade o apoio à participação das cidades africanas de expressão oficial portuguesa. Neste sentido, a ADENE organizou e integrou a equipa de formadores de um workshop de capacitação sobre o Plano de Ação para o Acesso a Energia Sustentável e o Clima (SEACAP), realizado na Cidade do Cabo, África do Sul, de 9 a 11 de setembro. A formação visou capacitar 10 técnicos municipais de cidades de Moçambique, Cabo Verde e Guiné-Bissau, contribuindo para o reforço das suas competências técnicas e promovendo a troca de experiências entre signatários do Pacto.

Iniciativas como esta têm uma importância crucial para o reforço do papel das autoridades locais no combate às alterações climáticas, reconhecido como essencial para que as metas climáticas definidas pelos países sejam traduzidas em ações concretas no terreno.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email