O

O verão chegou

Sandra Cóias

Atriz

30.07.2021

4

min. de leitura

Depois de um ano atípico em que as nossas deslocações estiveram reduzidas ao indispensável, gradualmente temos vindo a desconfiar e o calor convida-nos agora a planear férias e a viajar.
Mas um ano depois desta pausa, como será voltar a viajar? Ou como deveriam ser as nossas viagens a partir de agora?
Tendo em conta esta paragem forçada que nos fez pensar no que realmente importa nas nossas vidas, no impacto que as nossas acções têm no mundo e com os efeitos das alterações climáticas, que cada vez mais frequentemente se manifestam um pouco por todo o mundo, deveria ser urgente alterar comportamentos em prol do bem comum.

Viajar para mim é um prazer mas gosto de o fazer tendo em conta a sustentabilidade, que faz parte do meu dia dia, diminuindo também assim o impacto que as minhas deslocações possam causar.
Apenas desta forma faz sentido para mim! Fazê-lo também em consciência.
Pois já sabemos que o aumento do turismo, sobretudo o massificado, implica uma maior pressão sobre a população, a cultura, o ambiente e a economia dos locais de destino. E é fundamental que cada vez mais tenhamos isso em conta.

Assim sendo, é importante optar pelo turismo sustentável e/ou turismo solidário.
Alternativas responsáveis que minimizem os efeitos negativos do turismo. O turismo solidário proporciona experiências de férias que nos permitem descobrir novos locais, e ao mesmo tempo, promover e proteger a natureza e a vida das populações.
Experimente! Vai acabar por descobrir um mundo totalmente novo e fazer realmente a diferença na vida de alguém.

Por isso, deixo-lhe aqui algumas dicas para reduzir a sua pegada ecológica antes, durante e depois das suas viagens. Onde pode encontrar alojamento mais amigo do ambiente dentro e fora de portas e saber mais sobre o turismo solidário.

Práticas sustentáveis:

– Voe o menos possível, “Vá para fora cá dentro”.
Quanto menor for a distância até ao seu destino, menor será a pegada de carbono gerada pela viagem.

– Se viajar, opte por uma companhia aérea com programas de compensação de carbono. Não imprima os bilhetes de avião, reservas de hotéis ou cartões de embarque. Leve a sua garrafa de água reutilizável e evite consumir os produtos que são oferecidos durante o voo, a grande maioria são embalados em plástico. Se levar os seus próprios talheres e uma palhinha vai contribuir para um menor gasto de plástico de utilização única.
Se possível, opte por viajar na época baixa, não só poupa algum dinheiro, como contribui para um maior equilíbrio entre o número de turistas e as populações locais.

– Se optar por viajar de carro, escolha um elétrico, que pode alugar causando assim um menor impacto ambiental.

– Sempre que possível, viaje de comboio, este deverá ser o meio de transporte preferencial.

– Opte por hotéis, ou outros tipos de acomodação, amigos do ambiente. Tenha em conta se este local se orgulha de contribuir para um planeta melhor, Começando pela sua construção, pela energia usada que deve ser, na sua maioria, limpa, através do uso de painéis solares.
Que tratem a água como um bem escasso, onde hóspedes são incentivados a um uso racional. Que privilegiem alimentos produzidos sazonalmente e localmente e onde o desperdício alimentar seja evitado. A responsabilidade social, tendo em conta a comunidade onde se inserem, deve pagar ordenados justos, formar habitantes locais e recrutá-los para trabalhar nas suas instalações em vez de ir buscar empregados já formados a outros destinos ou recorrendo a mão-de-obra barata.
Espreite em: greenstays.pt – bookdifferent.com e bookitgreen.com e conheça alternativas e alojamentos que apoiam práticas mais verdes.

– Informe-se se existem projectos de conservação ou sociais que poderá visitar e apoiar durante a sua viagem.

– O Turismo solidário junta dois conceitos muito interessantes: Turismo e Voluntariado, e permite que dediquemos parte do tempo da viagem ao desenvolvimento da região visitada deixando a uma marca positiva.
Saiba mais em: impactrip.com/ e volunteerhq.org/

-Faça uma mala leve, com apenas aquilo que realmente precisa, pois também esta faz a diferença na hora de viajar de uma forma mais sustentável. Mais peso significa mais gasto de combustível.

– Leve todos os produtos em barra, gel de banho, champô, creme etc…que, além de serem ecológicos, são super práticos para levar em viagem.

– Se fumar, leve consigo um cinzeiro portátil. As beatas contêm milhares de químicos que podem acabar nos lençóis freáticos.

– Viaje com calma. Para viajar de forma mais sustentável é essencial viajar com tempo. A arte de visitar um ou dois lugares por um longo período de tempo em vez de andar à pressa a conhecer muitos sítios de uma só vez, é uma forma brilhante de viajar de forma um pouco mais sustentável.

– No destino conheça o local, optando pela bicicleta ou transportes públicos.

– Compre produtos locais em detrimento de produtos importados. Interrogue-se que produto é aquele, como foi feito e de onde veio. Não menos importante, compre bens duradouros.

– Não compactue com abusos a animais. Não compre objectos ou artesanato feito a partir de qualquer tipo de animal. Não participe em espetáculos com animais adestrados, passeios no dorso de elefantes, fotos com serpentes, etc.

– Não deixe lixo na Natureza, ou onde não há tratamento de resíduos. Transporte o lixo consigo até um lugar onde o possa deixar em segurança.

-Modere o consumo de água. Este é um bem precioso em muitos países e os turistas tendem a utilizá-la muito mais do que a população local.

– Faça por conhecer a cultura, costumes, culinária e tradições das populações locais. Respeite as diferenças culturais.

– Não desperdice comida…Peça para levar as sobras e aqueça numa próxima refeição ou ofereça a alguém que necessite.

– Não só em viagem, como na sua própria casa, reduza a quantidade de carne que consome, coma com consciência. A criação de animais para consumo é um dos principais problemas ambientais da atualidade.

– Traga consigo fotografias, deixe no local o que a este pertence.

Tenha consciência de que as suas escolhas importam. Todas elas, por mais pequenas que sejam e que o turismo sustentável passa por estas e outras pequenas opções que fazemos diariamente.
Está na hora de fazermos a diferença e deixarmos o mundo um pouco melhor.

Boas férias 🙂

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

S

Sobre o autor

Sandra Cóias, actriz com um percurso consolidado, onde constam alguns dos mais emblemáticos projetos da televisão portuguesa. No cinema, contam-se dezenas de papéis em projetos dos maiores realizadores nacionais. Há mais de 20 anos ligada à defesa de causas animais e ambientais.