Eficiência Energética

Iluminação Pública

Em Portugal, a Iluminação Pública (IP) é responsável por 3% do consumo energético. O problema é que a tendência é para aumentar ( cerca de 4 a 5% por ano) o que representa custos muito elevados para os Municípios.

Assim sendo, torna-se fundamental definir um conjunto de medidas direcionadas para o aumento da eficiência energética no parque de IP, sem que isso afete a qualidade de vida nos espaços públicos.

Esta iniciativa terá por base a aplicação de tecnologias mais eficientes em detrimento de tecnologia corrente, permitindo assim reduzir o consumo de energia elétrica, mantendo o mesmo nível de serviço.

Algumas intervenções demonstram que a Eficiência Energética ao nível das IP é já uma realidade:  

  • instalação de reguladores do fluxo luminoso
  • substituição de luminárias e balastros ineficientes ou obsoletos
  • substituição de lâmpadas de vapor de mercúrio por fontes de luz mais eficientes,
  • instalação de tecnologias de controlo,
  • gestão e monitorização da IP
  • substituição das fontes luminosas nos sistemas de controlo de tráfego e peões por tecnologia LED.

Para garantir ganhos de eficiência energética ao nível das IP, será futuramente criado um Regulamento que permitirá uma análise, controlo e monitorização rigorosa deste tipo de sistemas contribuindo assim para uma melhoraria da sustentabilidade económica e ambiental dos municípios.

Por último e tal como no Programa ECO.AP, também os projetos de IP deverão recorrer às ESE, para que através de concursos públicos possam ser celebrados contratos de gestão de eficiência energética (Energy Performance Contract (EPC)).
 

Mapa do Site